Volkswagen retoma operações no Paraná e na Argentina

A Volkswagen retomou nesta segunda-feira, 18, as atividades das fábricas de São José dos Pinhais, no Paraná, e a de Pacheco, na Argentina. 

A unidade paranaense será a primeira da companhia a voltar a operar no país - as demais fábricas, localizadas em São Paulo - São Bernardo do Campo, Taubaté e São Carlos -, têm previsão de retorno no final de maio.

O retorno às atividades em São José dos Pinhais será gradual. A primeira linha de produção retomada foi a do SUV T-Cross, que está operando em dois turnos, em ritmo mais lento e a curva de aceleração atenderá à demanda do mercado.

"Vamos começar de uma forma muito planejada, com o distanciamento recomendado entre as pessoas e seguindo todas as boas práticas de limpeza e higiene”, garante Pablo Di Si, CEO e presidente da Volkswagen para a América Latina, segundo quem as orientações estão sendo levadas aos empregados de forma didática e por meio de vídeos, para que o entendimento das regras seja total.

As medidas de higiene e segurança para proteger a saúde dos empregados foram baseadas nas experiências das fábricas do grupo na China e na Alemanha, e estão também em conformidade com os protocolos internacionais e alinhadas às determinações do governo.

As normas de segurança cobrem mais de 80 itens, desde a obrigatoriedade de respeitar as sinalizações e o distanciamento até o uso de luvas nos refeitórios - que terão demarcação de assentos -, passando pela utilização compulsória de máscaras. A empresa providenciou 67 mil máscaras de tecido dentro do projeto Costurando o Futuro.

A empresa também se comprometeu a limpar e desinfetar periodicamente as dependências das fábricas e escritórios serão limpas e desinfetada periodicamente, Haverá também medição de temperatura dos funcionários antes do ingresso nos ônibus fretados, cujo número será ampliado para garantir o distanciamento durante o transporte.

A Volkswagen também disponibilizará postos avançados de atendimento médico dentro das fábricas - serão 3 em São José dos Pinhais, 6 em São Bernardo, 3 em Taubaté e 1 em São Carlos. As orientações também foram compartilhadas com fornecedores e concessionárias, com distribuição de cartilhas e treinamentos virtuais.

PACHECO - Na Argentina, com autorização do Ministério do Desenvolvimento Produtivo, do governo da província de Buenos Aires e do município de Tigre, a montadora retomou as atividades em um turno na fábrica de Pacheco.

Para a retomada, foi estabelecido um cronograma progressivo de retorno à produção, em conformidade com rigoroso protocolo de saúde e segurança, já implementado na fábrica de Córdoba, também na Argentina. A exemplo da fábrica brasileira, o protocolo se baseia nas experiências do grupo em suas fábricas na China e na Alemanha, além das recomendações do governo provincial e municipal. Conta ainda com o aval do sindicato local.

As medidas de higiene e segurança incluem dispensers de desinfetantes em vários pontos das fábricas, câmeras térmicas e termômetros infravermelhos para medir a temperatura periodicamente dos empregados, uso obrigatório de máscaras descartáveis e respeito por uma distância de 1,5 m entre as pessoas, entre outros. A equipe administrativa continua realizando suas atividades de forma remota na medida do possível.

A fábrica de Pacheco, com mais de 3.700 funcionários, produz o Amarok para mais de 35 destinos no mundo e está em processo de transformação. A montadora está investindo US$ 650 milhões na unidade, voltados à modernização da tecnologia e implementação da nova plataforma global MQB A, onde será produzido o novo SUV Projeto Tarek.


Fonte Usinagem Brasil 

Compartilhe