Tupy compra fundição Teksid da FCA por quase R$ 1 bi

Aquisição exclui unidades de alumínio e envolve plantas no Brasil, México, na Polônia, China e em Portugal

Tupy anunciou a compra da fundição Teksid da FCA (Fiat Chrysler Automobiles) por quase R$ 1 bilhão (€ 210 milhões), equivalente a 4,9 vezes o lucro da empresa comprada (EBTIDA). 

O negócio foi divulgado pelas duas empresas na manhã da sexta-feira, 20, mas sua conclusão e pagamento ainda depende da aprovação de entidades antitruste e de regulação de mercado, o que deve ocorrer no segundo semestre de 2020.

Com a aquisição, a tradicional fabricante de blocos de motor e componentes estruturais de ferro fundido, com sede em Joinville (SC), deve aumentar significativamente sua atuação nacional e internacional, com o controle de plantas da Teksid no Brasil, México, na Polônia e em Portugal, além da participação em joint venture na China, um centro de engenharia na Itália e escritório comercial nos Estados Unidos.

O negócio de alumínio da Teksid foi excluído da transação e vai permanecer sob controle da FCA, que considera estratégico o domínio da fundição de certos componentes do metal, principalmente blocos e cabeçotes integrantes dos motores usados hoje pela maioria dos fabricantes de veículos leves. 

É mais uma reviravolta provocada pela tendência tecnológica de produzir carros mais leves e econômicos. No início dos anos 2000, em dificuldades financeiras, o então Grupo Fiat (antecessor da FCA) vendeu à mexicana Nemak a parte da Teksid dedicada a peças de alumínio. Em 2014 a subsidiária retomou o negócio para fundir blocos e cabeçotes com a matéria-prima mais leve. Agora, passa adiante suas fundições de ferro, antes dominantes.

Segundo comunicado divulgado pela FCA, a transferência à Tupy da unidade de fundição de Ferro da Teksid é parte do plano estratégico da companhia para os próximos anos. Possivelmente, o negócio tem relação com o enxugamento de ativos não estratégicos que ocorre com o processo de fusão entre FCA e o Grupo PSA confirmada esta semana – as empresas se comprometeram a vender seus fornecedores cativos, como a Faurecia que pertence à PSA e Comau da FCA, que este ano já havia concluído a venda da Magneti Marelli .

Nova fundição de 20 mil empregados e receitas de R$ 7,2 bilhões



Com boa parte do capital controlada por entes estatais brasileiros, com participações acionárias majoritárias do BNDESPar e do fundo de pensão Previ (do Banco do Brasil), a Tupy é a maior fundição da América Latina com duas plantas no Brasil e duas no México, que juntas têm capacidade para processar 848 mil toneladas de ferro fundido por ano. A Teksid acrescenta mais 509 mil toneladas/ano, elevando o potencial anual para 1,36 bilhão de toneladas.

“Com essa aquisição a Tupy se consolida como um player global no setor, com quase 10% do mercado mundial de componentes de ferro fundido”, conforme antecipou ao jornal Valor Econômico, um dia antes da divulgação do negócio, o presidente da fundição, Fernando de Rizzo.

A Tupy cresce substancialmente ao somar funcionários e resultados com a Teksid: o número global de empregados sobe de 14 mil para 20 mil e o faturamento avança cerca de R$ 2,4 bilhões (valor faturado de € 526 milhões pela Teksid em 2018), para o total estimado de R$ 7,2 bilhões, com lucro antes de juros, impostos e depreciação de ativos (EBTIDA) combinado de R$ 884 milhões, projetado com base nos balanços do ano passado de ambas as empresas.

A maior parte das receitas da Tupy vem do exterior: no balanço do terceiro trimestre, 81% do faturamento vieram de exportações a partir do Brasil e nas vendas das unidades no México, e 63% são de negócios na América do Norte. A compra da Teksid fará essa porção externa crescer para 75% a 80%, levando em conta a entrada da companhia no mercado asiático, onde não atuava até agora, e o aumento de fornecimento de componentes para caminhões, máquinas agrícolas e industriais nos Estados Unidos e na Europa. A Tupy tem especialidade reconhecida na fundição de blocos para motores de veículos pesados e agora ganha maior penetração no mercado de fundidos para automóveis.

A FCA continuará a ser o maior cliente da porção da Teksid adquirida pela Tupy, que por sua vez aumentará os negócios com a fabricante de veículos. No acordo de venda, as empresas firmaram um contrato exclusivo de sete anos para a Tupy fornecer componentes, tanto para as marcas de automóveis e comerciais leves da FCA como da CNH Industrial, que produz caminhões, ônibus, motores diesel, máquinas agrícolas e de construção.

“A Tupy sempre foi um fornecedor estratégico na indústria de componentes estruturais de ferro fundido. Juntas, Teksid e Tupy vão continuar a desenvolver novas tecnologias para apoiar o sucesso contínuo de nossos produtos”, afirmou em comunicado Scott Garberding, chefe global de Manufatura da FCA.

“Com a aquisição e a subsequente combinação de ativos, pessoas e conhecimento, poderemos aumentar significativamente a nossa capacidade de desenvolver novas tecnologias e entregar produtos e serviços com maior valor agregado para nossos clientes, em todo o mundo”, comentou Fernando de Rizzo, o presidente da Tupy.

Conforme Rizzo informou ao Valor, a compra será paga com financiamento de longo prazo, que fará a dívida da Tupy crescer do nível atual de 1,2 vez para 2,2 vezes o lucro EBTIDA da empresa combinada pela aquisição. Segundo o executivo, “é um patamar confortável”.

Fonte Automotive Business

Compartilhe