Saiba quais carros saíram de linha em 2021

Nomes importantes como Civic, Fit e Uno se despediram no ano passado


2021 foi mais um ano desafiador para a indústria automotiva. Com a pandemia impactando a economia e uma forte escassez de semicondutores, a produção de veículos continuou em baixa e os preços não pararam de subir.

Enquanto isso, vários modelos se despediram, com direito a alguns nomes de peso no obituário, como revelou o site parceiro Primeira Marcha. Confira os carros que saíram de linha em 2021.

Ford Ka, EcoSport e Troller T4

Logo nas primeiras semanas de janeiro, a Ford anunciou que deixaria de fazer carros no Brasil. A notícia, claro, caiu como uma bomba e levou junto alguns de seus modelos mais famosos.

O Ka teve três gerações no Brasil, sendo que a última delas estava em linha desde 2014. Foi a única delas com quatro portas e chegou até a ser vendida na Europa, onde teve várias mudanças no projeto. Fez bastante sucesso por aqui, mas era o único carro da Ford que vendia bem nos últimos anos.

O EcoSport foi lançado em 2003 e foi o único SUV compacto nacional por OITO anos. Só que a Ford vacilou quando lançou a segunda geração em 2013.

Mesmo sendo o primeiro projeto global da Ford feito no Brasil, o pobre do EcoSport fracassou lá fora e foi engolido pela concorrência por aqui.

E para tristeza dos jipeiros de plantão, o Troller T4 também saiu de cena. O modelo era fabricado pela Ford desde 2007 e ganhou uma nova geração em 2014.

O projeto ficou bem mais moderno com a adoção de várias peças da Ranger, incluindo o motor 3.2 turbodiesel. A última novidade surgiu em 2020, quando o T4 ganhou câmbio automático e até mudou de nome para TX4.

Toyota Etios

Em abril, a Toyota deixou de vender o Etios no Brasil. O polêmico compacto estava entre nós desde 2012 nas versões hatch e sedã, e ficou marcado por ser um projeto muito competente, mas não tão bonito assim.

A decisão foi para abrir espaço para a produção do Corolla Cross, que hoje é o vice-líder dos SUVs médios.

Mas isso não significa que o Etios se aposentou de vez, já que ele continua em produção para abastecer outros mercados da América do Sul.

Chevrolet Montana

A Chevrolet decidiu acabar com a Montana em maio. Lançada em 2010, a picape dividiu opiniões quando trouxe o visual, digamos, exótico do Agile.

A segunda geração da Montana não tinha nada do modelo anterior, que era mais refinado e baseado no Corsa europeu. Mesmo assim, ela até fez algum sucesso, mas acabou na sombra da Saveiro e principalmente da Strada, líder absoluta do segmento há 20 anos.

Uma Montana inteiramente nova será lançada em 2022, com porte maior, cabine dupla e usando a mesma base de Onix e Tracker.

Volkswagen Fox e Up!

Dois ícones da história recente da Volkswagen se despediram em 2021. Em maio, o Up! saiu de cena depois de sete anos. Mesmo com algumas mudanças em relação ao projeto europeu, o Up! nunca fez tanto sucesso.

A situação piorou nos últimos anos, e, além de custar mais do que um Gol, ele também era mais caro para produzir. E vendia bem menos.

Em outubro foi a vez do Fox. Ele estreou em 2003 e foi o primeiro projeto brasileiro a ser vendido na Europa. Na época, ele trouxe a proposta de ser compacto por fora e espaçoso por dentro, como dizia a própria propaganda. O Fox ficou 18 anos em linha e teve três reestilizações.

Honda Civic e Fit

A Honda pegou todo mundo de surpresa quando anunciou o fim da produção de dois de seus modelos mais famosos.

O Civic abriu a linha de montagem na fábrica de Sumaré lá no fim dos anos 90. Foi um dos carros mais desejados do país e referência em sedã médio junto com o rival (e líder absoluto) Toyota Corolla.

O Civic vai ser importado para cá na décima primeira geração, e, por isso, deve custar ainda mais.

Já o Fit saiu de cena de vez. Famoso por ser um dos carros mais versáteis do país, ele tinha o prático interior modular, que rebatia os bancos de várias maneiras.

Os lugares de Civic e Fit vão ser ocupados pela nova linha City, que será nas carrocerias sedã e o inédito hatch a partir de 2022.

Renault Sandero R.S.

Uma das despedidas mais sentidas foi a do Sandero R.S. O esportivo saiu de cena por causa das novas leis de emissões de poluentes, que forçariam a Renault a fazer mudanças na mecânica do hatch.

Lançado em 2015, o carro foi o primeiro projeto desenvolvido pela Renault Sport fora da França.

Quem já dirigiu sabe como o hatch era divertido de guiar, justamente por seguir a receita clássica dos esportivos nacionais: motor aspirado em carro pequeno e câmbio manual. E é uma pena, mas tudo indica que o Sandero R.S. não vai ter sucessor.

Fiat Uno, Doblò e Grand Siena

Três modelos da Fiat não estarão mais nas lojas em 2022. O Doblò foi lançado em 2001 e hoje só fazia sucesso nas vendas diretas, já que custava quase R$ 120 mil.

Caso semelhante era o do Grand Siena, até então o único carro que podia sair de fábrica com preparação para GNV.

Mas nenhuma ausência será tão sentida quanto a do Uno. O carro pode não ser o mesmo, mas o nome se aposenta depois de 37 anos e mais de 4 milhões e 300 mil unidades vendidas.

Para marcar o adeus, a Fiat lançou o Uno Ciao, uma série de 250 carros com alguns detalhes exclusivos. Pena que ele custa tão caro: quem quiser um vai ter que pagar pelo menos R$ 85 mil.



Fonte: Automotive Business



O melhor conteúdo do setor metal-mecânico no seu e-mail

Cadastre-se em nossa lista VIP para receber conteúdo, notícias e muito mais sobre o setor metal-mecânico.

Compartilhe