Montadoras suspendem a produção no País

A Mercedes-Benz, a General Motors e a Volkswagen do Brasil distribuíram comunicados na quarta e quinta-feira da semana passada comunicando a suspensão das atividades de todas as suas unidades no País. 

A Volks, a partir desta segunda-feira, 23 de março, por três semanas; e a Mercedes a partir do dia 25 de março até 20 de abril; e a GM a partir do dia 30.

Na quinta-feira (19), à noite, a Anfavea - a entidade que reúne as fabricantes de veículos - divulgou nota à imprensa informando que naquele momento todas as 26 montadoras associadas à entidade estavam analisando e se preparando para a interrupção de suas atividades de produção no País. De fato, logo em seguida a Volvo comunicou a suspensão da produção na fábrica de Curitiba por quatro semanas, a partir de 30 de março. Na sexta-feira novos comunicados foram divulgados, desta vez da FCA, da Renault e, já no final da tarde, o do Groupe PSA.

VW - A Volkswagen informou que “a medida visa preservar a saúde de seus empregados e familiares em decorrência do avanço da COVID-19”. Segundo o comunicado, até o dia 30 de março de 2020, os empregados da área administrativa continuam em trabalho remoto e os empregados da linha de produção em folgas administradas por banco de horas. A partir de 31 de março de 2020, os empregados estarão em férias coletivas por duas semanas. “Ambas as medidas são parte das ferramentas de flexibilização previstas em Acordo Coletivo de Trabalho”, informa a montadora.

FCA - A Fiat Chrysler Automóveis (FCA) anunciou na sexta-feira, 20, que irá promover a diminuição gradual da produção em suas fábricas no Brasil (Betim-MG, Goiana-PE e Campo Largo-PR) a partir de 24 de março, com a paralisação total prevista para 30 de março. As atividades fabris serão retomadas em 21 de abril.

A montadora informa que “a continuidade da produção até a paralisação total se dará mediante as rigorosas medidas preventivas já adotadas para garantir a saúde e integridade dos funcionários”. Além disso, anunciou também o adiamento imediato de todos os eventos e ações de produto (lançamentos, apresentações, cursos e treinamentos, etc.) previstos no Brasil. Os mesmos serão reagendados oportunamente.

GM - A General Motors informou na quarta-feira, 18, que dará férias coletivas para todos os seus funcionários do Brasil a partir de 30 de março. De acordo com a nota, a medida tem como objetivo “ajustar a produção à demanda”, já que a pandemia do novo coronavírus deve prejudicar toda a cadeia de consumo. As fábricas de São José dos Campos, Mogi das Cruzes, São Caetano do Sul (SP), Gravataí (RS) e Joinville (SC) ficarão paradas entre 30 de março e 12 de abril, segundo o Sindicato dos Metalúrgicos de São José dos Campos.

Renault - Na tarde de sexta foi a vez da Renault do Brasil informar que suspenderá a produção no Complexo Ayrton Senna, em São José dos Pinhais (PR), no período de 25 de março a 14 de abril de 2020 em função do crescente impacto do Coronavírus (Covid-19).

Groupe PSA - As linhas da Peugeot e da Citroën, em Porto Real (RJ), também serão paralisadas de 23 de março a 21 de abril de 2020. “A produção será então reiniciada dependendo da futura situação no país”, diz o comunicado da empresa. “As equipes de gerenciamento da unidade implementarão estes procedimentos localmente, sendo todos conduzidos em coordenação com nossos parceiros sociais”.

Mercedes-Benz - “Pensando nos cuidados com todos os seus colaboradores e familiares e com o objetivo de prevenção ao Covid-19”, a Mercedes-Benz adotará as seguintes medidas negociadas com sindicatos em todas as suas unidades no Brasil:

- Folgas debitadas em banco de horas nos dias 25, 26 e 27 de março, além de 20 de abril;

- Férias coletivas durante 20 dias, de 30 de março a 19 de abril.

De acordo com o comunicado, está previsto o retorno das atividades em 22 de abril, dependendo da situação do país.

A montadora informou ainda que desde quarta-feira (18) e até 24 de março, ntecipará a sua campanha de vacinação contra a gripe. A medida não tem relação direta com o coronavírus, mas ajuda a tranquilizar os colaboradores em casos de sintomas gripais.

A empresa frisa que “os serviços essenciais serão mantidos, com todos os cuidados necessários, a fim de atender os nossos clientes que possuem veículos em circulação”. E conclui: “Com todas essas alternativas, a Mercedes-Benz entende que está contribuindo para que as pessoas evitem ao máximo a circulação, atendendo as orientações da Organização Mundial de Saúde (OMS); estamos todos muito atentos em relação ao Covid-19 e atuando para preservar a saúde e o bem-estar da nossa população”.

Fonte Usinagem Brasil 

Compartilhe