Indústrias Romi atinge receita recorde de R$360,6 milhões no 4T20 e inicia 2021 com R$ 510 milhões na carteira de pedidos

 A Indústrias Romi S.A., empresa líder brasileira na fabricação de máquinas-ferramenta, máquinas para plásticos e fundidos e usinados, registrou no 4T20 uma receita recorde de R$360,6 milhões (crescimento de 56,5% em relação ao 4T19) e entrada de pedidos de R$ 390,1 milhões (aumento de 110,6% em relação ao 4T19). 

A Companhia inicia o ano de 2021 com carteira de pedidos de R$510 milhões, crescimento de 67,2% em relação ao mesmo período do ano anterior.

Com o aumento da liquidez da ação ROMI3 observada nos últimos meses, a partir de 1º de janeiro de 2021, a Companhia passou a compor os seguintes índices da B3, a bolsa de valores do Brasil: IBRA B3 (Índice Brasil Amplo), IDIV B3 (Índice Dividendos), SMLL B3 (Índice Small Cap) e IGCT B3 (Índice de Governança Corporativa Trade).

Na Unidade de Máquinas Romi, a receita operacional líquida, no 4T20, apresentou crescimento de 37,1% em relação ao 4T19, decorrente da retomada dos pedidos a partir de junho deste ano. A evolução da receita, aliada à redução das despesas operacionais, resultou em uma expansão da margem operacional, que, nesse mesmo período de comparação, cresceu 10,1 p.p.

A Unidade de Fundidos e Usinados alcançou no 4T20, um crescimento de 102,3% na receita operacional líquida em relação ao 4T19, impulsionado pelas entregas das peças de grande porte e da retomada dos demais segmentos. 

A margem operacional apresentou crescimento de 8,2 p.p., reflexo do maior volume de produção, evolução na eficiência operacional e maior faturamento.

A entrada de pedidos na Unidade de Máquinas Romi, no 4T20, apresentou um crescimento de 87,5% quando comparada ao 4T19, resultado do ambiente favorável aos investimentos e das novas alternativas de negócios, como, por exemplo, a locação de máquinas

Refletindo a retomada dos negócios na Ásia, a Unidade Burkhardt+Weber atingiu uma entrada de pedidos de R$99,3 milhões no 4T20, crescimento de 264,6% em relação ao mesmo período do ano anterior.

Na Unidade de Fundidos e Usinados, o crescimento da entrada de pedidos no 4T20 foi de 75,7% em relação ao 4T19, reflexo das peças de grande porte para o setor de energia e da retomada gradual de todos os demais segmentos industriais.

A carteira de pedidos total da Companhia, ao final do quarto trimestre de 2020, apresentou crescimento de 67,2% em relação a 31 de dezembro de 2019. O caixa líquido da Companhia em 31 de dezembro de 2020 foi de R$110,5 milhões.

 “Os resultados do ano de 2020 consolidam o sucesso que alcançamos com o lançamento das nossas novas gerações de produtos, todos adequados para a indústria 4.0, entregando maior produtividade e preservando a competitividade dos nossos clientes. 

Mesmo diante dos desafios impostos pela pandemia, o ambiente industrial demonstrou recuperação, refletindo positivamente na entrada de pedidos e nas carteiras de Máquinas Romi e de Fundidos e Usinados. 

Neste contexto, destacamos a rápida reação de nossa cadeia de supply chain e a melhoria constante nos processos internos. A subsidiária BW, no 4T20, além de apresentar um resultado operacional positivo, capturou importantes pedidos para o ano de 2021. 

Nosso time continua engajado para levar produtos e soluções de alta tecnologia aos nossos clientes, sempre com a qualidade e a excelência Romi reconhecidas mundialmente”, menciona Luiz Cassiano R. Rosolen, Diretor-Presidente da Romi


Fonte ROMI 



O melhor conteúdo do setor metal-mecânico no seu e-mail

Cadastre-se em nossa lista VIP para receber conteúdo, notícias e muito mais sobre o setor metal-mecânico.

Compartilhe