GM priorizará funcionários da Ford ABC em novas contratações

 A prefeitura de São Bernardo do Campo, no ABC paulista, anunciou na última segunda-feira, 19, que fechou acordo com a General Motors para que esta contrate prioritariamente funcionários da fábrica da Ford daquela cidade, que terá as atividades encerradas até o final deste ano.

O compromisso foi firmado após reunião entre o prefeito de São Bernardo, Orlando Morando, e o presidente da GM do Brasil, Carlos Zarlenga. O encontro foi realizado na sede da empresa, na vizinha São Caetano do Sul.

A prefeitura vai intermediar diretamente a contratação dos trabalhadores, através da Central de Trabalho e Renda de São Bernardo. “É um acordo que beneficiará não só os trabalhadores, que serão realocados em sua área, como o próprio município, que convive com um alto índice de desemprego”, disse Morando.

A GM não esclareceu quantos funcionários serão contratados, nem quando as novas vagas serão criadas. Mas as contratações deverão realmente acontecer, pelo que se depreende do comunicado divulgado depois pelo presidente da companhia.

“Nós achamos a ideia excelente”, diz a nota de Zarlenga. “Primeiro, porque são profissionais já treinados. Segundo, porque estamos fazendo um forte investimento e vamos precisar de talentos para operar. Todos de fato sairão ganhando”.

O acordo veio após o entendimento, pela prefeitura, de que é irrevogável a decisão da Ford de encerrar as atividades na fábrica do bairro do Taboão, em São Bernardo. O local era o mais antigo da empresa em funcionamento no Brasil.

Foi em fevereiro que a fabricante norte-americana anunciou que encerraria a produção do Fiesta, único veículo de passeio montado na unidade. Além disso, também afirmou que deixaria o mercado de caminhões, que também eram produzidos em São Bernardo do Campo.

A produção do Fiesta foi encerrada ainda em junho. Já os caminhões seguem sendo fabricados. A previsão de parada total está marcada para novembro.

Ainda existe a possibilidade de alguma montadora adquirir a fábrica. Recentemente, comentando o estágio das negociações entre a Ford e o Grupo Caoa, Patrícia Ellen, secretária de Desenvolvimento Econômico do Estado, disse que o governo cumpriu o seu papel, mas o desfecho depende das empresas. “Fomos até onde pudemos ir, mas estamos otimistas. A negociação está em fase final, mas não depende mais da gente”, afirmou.

Fonte Usinagem Brasil 

Compartilhe