Engenharia domina formação dos brasileiros que imigram para os EUA

Administração, Engenharia Elétrica, Engenharia Mecânica e Ciência da Computação. Essas são as graduações mais comuns entre os profissionais brasileiros contratados por empresas dos EUA, segundo um levantamento realizado pela AG Immigration, escritório de advocacia especializado em green cards.

A pesquisa foi elaborada com base nos formulários de certificação laboral do Departamento de Trabalho dos EUA (DOL, na sigla em inglês), órgão responsável por processar os pedidos de contratação de estrangeiros. As informações são referentes ao ano fiscal de 2022, dado mais recente disponível até o momento.

Ao todo, foram identificados 372 brasileiros com nível superior contratados no período – em mais de cem graduações diferentes – apontadas nos documentos oficiais do governo americano.

O curso de Administração foi o mais mencionado, com 75 brasileiros indicando graduação na área, seguida de Engenharia Elétrica (31) e Engenharia Mecânica (28). No total, porém, são mais de 15 tipos de engenharias identificadas pela pesquisa, sendo a área de conhecimento mais frequentemente citada.

“O levantamento mostra dois movimentos interessantes. Em primeiro lugar, há uma fuga de cérebros do Brasil para os EUA, motivada por questões estruturais no cenário socioeconômico dos dois países. Além disso, é notória a predominância de graduações relacionadas à área de STEM”, diz Rodrigo Costa, CEO da AG Immigration, em referência à sigla inglesa para ciências, tecnologia, engenharia e matemática.

A área de STEM é considerada de grande importância estratégica para os EUA, como forma de o país manter-se competitivo frente aos avanços científicos e tecnológicos de seus rivais globais. Em janeiro de 2022, por exemplo, ao completar um ano de mandato, o presidente Joe Biden anunciou uma série de medidas para atrair profissionais internacionais de STEM.

Mais recentemente, em outubro de 2023, a administração Biden publicou uma ordem executiva (espécie de decreto presidencial) específica sobre Inteligência Artificial, para desenvolver a tecnologia no país e atrair profissionais estrangeiros que atuam na área.

O CEO da AG Immigration destaca, contudo, que algumas profissões populares entre os brasileiros que trabalham no EUA não aparecem no levantamento, pois entram no mercado norte-americano por meio de vistos que não requerem a certificação laboral do DOL, o já citado Departamento de Trabalho dos EUA.

“Profissionais altamente qualificados, com habilidades acima da média, conseguem um green card do tipo EB-1A ou EB-2 NIW sem a necessidade de terem um contratante americano patrocinando a sua ida. É uma via imigratória muito comum entre dentistas, fisioterapeutas, enfermeiros, empreendedores, pilotos de avião, profissionais de tecnologia, de RH, vendas e marketing”, explica o executivo.

Em 2022, mais de 23 mil brasileiros receberam o green card, documento que garante a residência permanente nos EUA. Trata-se da maior quantidade já emitida do documento para nacionais do Brasil e o terceiro recorde nos últimos quatro anos. Além disso, mais de 12 mil brasileiros obtiveram a cidadania americana no período, também o maior valor da história.


Tags
engenharia
Compartilhe

Usinagem Brasil

O Usinagem-Brasil é um site jornalístico independente, editado pela De Fato Comunicações Ltda., voltado à cobertura da indústria metal-mecânica, com foco principal em máquinas-ferramenta, ferramentas de corte, equipamentos, acessórios, automação etc. e demais informações ligadas ao universo da usinagem.