Usinagem: Sua evolução e a competitividade nos dias de hoje

A usinagem é um processo de manufatura antigo e muito conhecido para a fabricação de produtos na Indústria, na qual as matérias primas são transformadas em bens acabados tais como peças, moldes, ferramentais que podem ser fabricados com materiais metálicos ou não em larga escala ou de fabricação única, com a ação de máquinas que operam removendo material de acordo com a necessidade de cada aplicação final.





No início do século passado a fabricação de peças era feita através de máquina convencional onde o operador fazia um trabalho praticamente artesanal e alguns anos mais tarde já podiam ser vistas maquinas com algum tipo de automatização, possibilitando o operador produzir algo de forma repetitiva ou uma produção em série com as mesmas medidas.


Nessa época o conhecimento do operador podia ser mais estreito, ou seja, era suficiente conhecer usinagem em si, dependia mais das suas habilidades.


Próximo dos anos 80 foi desenvolvida a tecnologia que é a mais utilizada hoje em dia na indústria quando se trata de usinagem, são as Máquinas CNC (Comando Numérico Computadorizado) capazes de confeccionar peças com precisão de um milésimo de milímetro (1 milímetro dividido por mil) 0,001.


Já desse período de automatização até os dias de hoje podemos ver que as empresas exigem muito mais qualificações de seus operadores.


    

A Evolução dos serviços de Usinagem


 

A evolução das máquinas foi decisiva para que a produção de peças (produto final) se tornasse cada vez mais eficiente, produtiva e flexível geometricamente. 


Esta evolução se deu graças à informatização da manufatura, através dos controles digitais aplicados às máquinas, equipamentos e sistemas de desenvolvimento do produto e de controle da produção.



A transição para a indústria 4.0 e para a fábrica do futuro tornou o setor de usinagem mais inteligente, mais eficiente, menos poluente e permitiu a inserção de novos materiais, novas ligas, componentes e conceitos de fabricação, que somados às modernas ferramentas de corte de alto rendimento e à evolução da eletrônica e dos controles digitais, as máquinas passaram a ser eficientes centros de operações, com a finalidade de produzir peças das mais diversas geometrias por completo numa única fixação, desde as mais simples até as de elevada complexidade, eliminando assim operações posteriores.


Aumentando a produtividade, diminuindo custos de fabricação e maior qualidade.


Tornos CNC que fresam, Centros de usinagem que torneiam, centros de usinagem de três, quatro, cinco e até sete eixos, são exemplos desta revolução tecnológica.

Após a evolução da tecnologia e da utilização de novos materiais, novas ligas, aumento de precisão das máquinas, evolução dos softwares CAD (Computer-Aided Design), CAE (Computer-Aided Engineering), CAM (Computer-Aided Manufacturing) maior qualificação dos operadores de máquinas e uma capacidade de usinar praticamente qualquer geometria hoje já podemos ver peças usinadas em automóveis, aviões, satélites, mísseis, setor naval, eólico, siderúrgico, equipamentos para a medicina, odontologia, próteses ortopédicas, telefonia móvel, eletrodomésticos, entre tantos outros produtos. 

Alguns exemplos de materiais que hoje são usinados na indústria:

Aço

Alumínio

Ligas de Cobre

Ferro Fundido

Latão

Acrílico

Nylon

Os ganhos com a evolução da fabricação utilizando as máquinas CNC:


Maior precisão dimensional;

Redução no tempo de usinagem;

Acabamento superficial com menor rugosidade;

Redução de setup;

Aumento da vida útil das ferramentas de corte;

Redução no tempo de troca de ferramenta;

Aumento de produtividade;

Redução no número de etapas para a fabricação do produto;


A Competitividade no mundo da Usinagem

O mundo passa por muitas transformações e a quarta revolução industrial (Indústria 4.0) é uma delas, com vários desenvolvimentos em novas tecnologias e inovações exigindo maior qualidade, um visual mais atrativo e alto desempenho.  

Produtos que são por vezes produzidos em larga escala ou até mesmo produzidos de forma customizada, ou seja, atendendo o desejo de poucos ou até de um único cliente.

Os avanços tecnológicos e a competitividade do mercado vêm crescendo de forma agressiva e fazendo com que as empresas busquem a melhoria contínua, redução de custo, redução de lead-time, elevação da qualidade e novas possibilidades utilizando de novas tecnologias que aplicadas de maneira correta em suas máquinas e seus centros de fabricação para não perderem espaço no mercado ou até mesmo ficarem ultrapassadas ou quebrarem.  

A integração entre as etapas de criação e construção, por meio de simulações, traz avanços indispensáveis. 

Equipes enxutas têm conseguido entregar produtos já bastante refinados em ciclos de projeto cada vez mais econômicos e reduzidos, dando condições para que as empresas reajam agilmente às frequentes variações de mercado.

Compreender a evolução dos processos e os tipos de máquinas e ferramentas que são utilizadas, faz com que as fábricas tenham cada vez mais produtividade, qualidade e evolução em seus procedimentos.


Um dos pontos a serem analisados para quem quer produzir mais é a redução de setup. Nos processos produtivos existem perdas devido aos tempos ociosos entre as preparações de máquinas, ferramentas e equipamentos que estão relacionados com a produção. 

Com isso as empresas estão buscando sistemas de troca rápida de ferramentas, zero point e dispositivos que diminuem os períodos que não agregam valor ao processo e assim otimiza o tempo de fabricação, reduz custo e aumenta a produtividade.

Como se manter competitivo no mercado

A diversidade de máquinas CNC e tecnologias para usinagem disponíveis no mercado é muito grande e por meio delas, qualquer novidade é rapidamente copiada e o único modo de manter-se adiante dos concorrentes é ser mais criativo e mais rápido na absorção e uso das tais tecnologias. 

Como resultado, os produtos são cada vez mais similares e, assim, as empresas são forçadas a investirem em estratégias de serviços que as façam mais atraentes quando comparadas a seus potenciais concorrentes. 

Um modo de perceber isso é notar a evolução das competências necessárias aos profissionais que atuam no segmento de ferramentas de corte para usinagem.

Os gestores devem estar sempre atentos e atualizados, a única maneira de uma empresa conquistar e manter uma boa participação de mercado é desenvolver um diferencial de competitividade, seja oferecendo algo que seus concorrentes também oferecem, mas que aos olhos do cliente resulta em benefícios superiores ou oferecendo algo que os concorrentes não podem oferecer, e que o cliente esteja disposto a pagar algum dinheiro extra para obtê-lo

Referências:

MARCONDES, FRANCISCO; “A Evolução dos serviços de usinagem”, Manufatura em Foco, 2012.

FERRARI, ALFREDO, “O mundo da usinagem” – Edição nº 120, 2018.

CRISPIM, CAIO TORRES, “Senai-ce”, 2020.




O melhor conteúdo do setor metal-mecânico no seu e-mail

Cadastre-se em nossa lista VIP para receber conteúdo, notícias e muito mais sobre o setor metal-mecânico.

Compartilhe