FIFO (PEPS): o que é e como otimizar sua gestão de estoque

Aprenda o que é um sistema FIFO, como aplicá-lo em sua organização e descubra como ele se relaciona com a filosofia lean!


Em uma época em que os processos produtivos devem ser executados com cada vez mais eficiência, fica evidente a importância das empresas planejarem e gerenciarem o fluxo de estoque com o objetivo de aumentar a eficiência e reduzir o desperdício. É para isso que o FIFO existe.


O sistema foi criado para controlar a armazenagem de produtos e tem como objetivo avaliar o fluxo de entrada e saída de mercadorias.


Se você quiser saber mais sobre esse sistema, continue lendo este artigo.


O que é o FIFO?

FIFO é um acrônimo para "First In First Out", ou "primeiro a entrar, primeiro a sair", também conhecido como PEPS. Com base nessa definição, fica claro que se trata de um sistema cujo objetivo é manter a ordem e o giro das mercadorias.


Quando você organiza seu armazenamento por datas de chegada e partida, a probabilidade de expiração é bastante reduzida.


Por exemplo, suponha que a empresa receba uma grande quantidade de arroz e, quinze dias depois, uma nova quantidade semelhante de arroz chegue. O problema é que a primeira remessa ainda está com metade do estoque.


Em uma situação de primeiro a entrar, primeiro a sair, o correto a fazer é organizar com antecedência, colocar o estoque antigo em primeiro lugar, estocar o novo estoque e sempre sair por último.


Com o uso de um WMS, essa disposição não precisa ser feita fisicamente, pois o sistema já determina a data de recebimento e cria automaticamente o pedido no momento do envio.


No entanto, há algumas coisas para estar ciente. Dependendo do layout e da estrutura de armazenamento, como Drive-in e Drive-thru, o processo de controle pode ser mais difícil e permite que as operações aloquem outros itens na frente, aumentando a chance de vencimento do produto.


Diferença entre FIFO, LIFO e FEFO

O FIFO não é o único sistema de controle e planejamento de estoque existente. Outros métodos úteis como LIFO e FEFO foram criados de acordo com as necessidades de cada empresa. Abaixo veremos a definição de cada um deles:


LIFO

A sigla LIFO significa "last in first out", ou "Último a entrar, primeiro a sair" em português. Este é um método de inventário em oposição ao primeiro a entrar, primeiro a sair, onde o último produto a entrar no armazém deve sair primeiro.


Por exemplo, este método é recomendado para empresas que utilizam estoques que não apresentam risco de perda por vencimento ou obsolescência.


A lógica dessa abordagem permite que o aumento do valor dos bens adquiridos dos fornecedores seja repassado rapidamente aos consumidores, evitando prejuízos para a empresa.


Um exemplo de inventário que utiliza o método LIFO é o inventário de eletroeletrônicos em geral, como TVs e smartphones, pois não possuem prazo de validade.


FEFO

Essa abordagem está relacionada à validade do produto. A sigla FEFO significa "First Expires, First Out", que significa "Primeiro a Vencer, primeiro a sair". As empresas precisam controlar a validade dos itens e, à medida que as datas de vencimento se aproximam, eles devem ser removidos do estoque.


É amplamente utilizado no setor alimentício, por exemplo, onde a qualidade do produto está diretamente relacionada ao prazo de validade.


Vantagens do FIFO

O FIFO controla a quantidade de mercadorias que entram e saem da empresa, processo que pode trazer benefícios para diversos setores, como veremos a seguir:


Facilidade contábil

Na parte contábil, o FIFO ajuda a calcular o valor das mercadorias armazenadas em um determinado momento. Para facilitar o entendimento, damos um exemplo:


Na semana 1, sua empresa comprou 300 unidades do Produto A com valor unitário de R$50,00 (Lote 1).


Na semana 2, sua empresa comprou mais 400 unidades do Produto A, mas o valor unitário agora é de R$60,00 (lote 2).


Na semana 3, sua empresa vendeu 600 unidades do Produto A.


Em estoque, sua empresa possui 100 unidades do Produto A, mas qual foi o custo destes?


Quando você usa um sistema FIFO em sua empresa, sabe que das 600 unidades vendidas na semana 3, 300 são do lote 1 porque foi o primeiro a esgotar.


Dessa forma, é fácil ver que as 100 unidades restantes do estoque são do lote 2.


Portanto, seu valor de estoque é 100 (itens) * R$ 60,00 (valor unitário lote 2) = R$ 6.000,00.


Redução de custos e desperdícios

Com o sistema FIFO, o armazenamento de carga pode ser otimizado, pois reduz a necessidade de armazenamento de grande espaço. Como resultado, os custos associados diminuem, o que é fundamental para qualquer negócio.


A utilização deste método facilita o manuseio de produtos perecíveis e evita a perda de mercadorias devido ao vencimento do prazo de validade.


Agilidade

Já que FIFO usa um fluxo enxuto de material, o sistema evita a superprodução e o enchimento excessivo do sistema porque temos uma capacidade máxima definida (lembra da regra?).


Isso torna mais fácil para as empresas reagirem de forma rápida e eficiente às mudanças na demanda por seus produtos.


Fluxo de informações definido

Por ser um método relativamente simples, você só precisa controlar o primeiro processo do sistema e os outros podem se auto gerenciar. Nesse sentido, as ferramentas Kanban são de grande valia.


Gestão Visual

Os gargalos nos sistemas FIFO geralmente são fáceis de identificar. Além disso, os próprios funcionários podem identificar qualquer falha no sistema e corrigi-la antes que se torne um problema crítico.


Como vimos, o método FIFO está amplamente relacionado ao Lean Manufacturing porque se concentra inteiramente em evitar o desperdício, que é um dos princípios do Lean. Além disso, o Lean Manufacturing permite o uso de várias ferramentas para melhorar diversos processos em uma empresa, maximizar a produtividade e aumentar a receita.


Quando utilizar o FIFO?

Este método é recomendado quando você está trabalhando com itens que têm uma alta taxa de rotatividade e um tempo de expiração que permite que você tome medidas se algo der errado. Bons exemplos são mantimentos básicos como arroz e feijão.


Outra boa opção é usá-lo em produtos que não têm prazo de validade, como eletrônicos, eletrodomésticos e móveis.


Ressalta-se que a adoção desse sistema por si só não é suficiente para otimizar o trabalho relacionado ao controle de eficácia. As remessas atrasadas nem sempre têm o prazo de validade mais longo, portanto, uma inspeção detalhada é essencial.


Não há como negar os benefícios da tecnologia FIFO para as empresas. No entanto, como qualquer sistema, ele só será eficaz se implementado corretamente e acompanhado de perto. Além disso, o resultado dependerá muito do empenho da equipe e dos colaboradores em seguir novas ideias.


Gostou de saber mais sobre o FIFO? Assine a nossa newsletter e fique sempre atualizado.

Tags
FIFOPEPS
Compartilhe

Revista Ferramental

Fique por dentro das noticias e novidades tecnológicas do mundo da ferramentaria.